Arrrombaram meu apartamento

Arrombaram meu apartamento. Levaram meu laptop. Meu gato sumiu. No dia do meu aniversário.

Voltamos para casa por volta das 17h, no sábado (durante o feriadão), e deparei com a porta aberta. Também entraram no apartamento do vizinho*.

Foi uma surpresa desagradável, claro, mas não totalmente surpreendente: arrombamentos são crimes frequentes na Inglaterra. Birmingham não tem um dos índices mais baixos, mas, considerando que é a segunda maior cidade do país, consegue ter uma porcentagem menor do que Liverpool, por exemplo, e abaixo da média da região de West Midlands, de acordo com o site Police.UK.

Também sei que não moro na área mais segura da cidade (índices de criminalidade por região de Birmingham neste link). Um vizinho do prédio ao lado já havia me alertado de arrombamentos, tendo ele sido uma vítima.

>>> Leia também: Você se sente seguro em Birmingham?

Meu marido logo chamou a polícia (o número para reportar crimes na região de West Midlands é 101, mas ele ligou para a estação do bairro – você pode identificar a equipe responsável pela área onde mora neste link). Enquanto isso, eu procurava o Tiger, nosso gato, pelas redondezas.

Uma policial chegou em cerca de 45 minutos. Olhou o apartamento, pediu para não tocarmos em nada (para não arruinar evidências), conferiu o dano à porta e redigiu o boletim de ocorrência, com o que havia acontecido e desaparecido.

Minhas gavetas e caixas de sapatos foram revirados. Além do laptop, levaram gravador digital, fones de ouvido, mouse (exatamente meus materiais de trabalho!) e um colar de prata (presente para uma amiga). [ UPDATE: E um par de brincos de prata. ]

Por sorte, temos seguro para os bens que ficam dentro da casa (“contents insurance”*). Entramos em contato para reaver o valor dos equipamentos roubados.

Além disso, relatei o roubo do laptop e do gravador no site Immobilise – um registro nacional (para o Reino Unido) de “propriedade”. Basicamente, você faz uma conta e cadastra ali bens como eletrônicos (computador, câmera, celular etc), relógios e joias, com número de identificação do produto (importante!), descrição e até foto, se quiser.

Isso não aciona a polícia (você ainda vai precisar entrar em contato com eles para oficialmente registrar o crime e fazer o “statement”, ou boletim de ocorrência). Mas, se acontecer de a polícia apreender objetos roubados, ela pode identificar o dono por esse cadastro. O Immobilise é relevante ainda em casos de objetos perdidos.

A policial estava indo embora, após quase uma hora, quando o perito chegou para coletar impressões digitais.

Ela também se ofereceu para chamar alguém para consertar a porta, serviço que não tardou para aparecer. Se a vítima preferir, ela mesma pode consertar o dano ou chamar o serviço de sua preferência (possivelmente mais barato), mas sendo uma tarde de sábado, durante feriadão, achamos mais fácil chamar alguém que trabalha com a polícia mesmo*.

No fim, em cerca de três horas, fomos atendidos pela polícia e feito tudo o que podíamos.

Além da sensação de vulnerabilidade, lamento pela perda dos dados no meu laptop e no meu gravador digital. Tenho backup da maioria, mas não de tudo (culpa minha mesmo).

Especulações

Aparentemente, o ladrão usou um pé-de-cabra ou similar para entrar no apartamento. Talvez ele ainda soubesse o código para entrar no prédio, ou aproveitou a saída ou entrada de algum vizinho. 

O perito acredita que deve ter sido alguém que irá revender os equipamentos para comprar drogas* (mesma história que tantas vezes se ouve no Brasil). Ele levou o papel em que estava enrolado o presente da minha amiga – segundo ele, o ato de rasgar o papel deixa um tipo de impressão digital diferente do que quando apenas tocamos (imagino que por causa da pressão dos dedos).

E o Tiger reapareceu…

Quase uma hora depois que a polícia foi embora, meu marido entrou na cozinha e encontrou o Tiger, fazendo uma boquinha.

Eu havia o procurado por casa, nos cantos que sei que ele vai quando está com medo, e chamado, e nada. Não sabemos onde ele se enfiou por todo aquele tempo, mas o susto deve ter sido tão grande que o fez ficar escondido por horas.

Foi um alívio ver que ele estava bem. Tiger era um gato de rua, vira-lata, eu sabia que não iriam “roubá-lo”. Mas fiquei preocupada que pudessem ter feito alguma crueldade com ele. Pelo visto, Tiger continua com a manha das ruas.

* UPDATE 23/05/2014: Os vizinhos que também tiveram o apartamento arrombado estavam viajando e só retornaram após quase 10 dias. O prejuízo deles foi bem pior, e eles não tinham seguro: levaram TV, laptop, tablets… O que leva a polícia a pensar que, na verdade, os ladrões deveriam estar com uma van do lado de fora do prédio. Talvez estivessem com o carro cheio ou escutaram alguma coisa quando estavam no nosso apartamento e, por isso, não levaram mais coisas. 

Dois policiais que fazem a ronda na minha rua vieram a minha casa se apresentar e deixar telefones de contatos. Gratuitamente, instalaram alarmes nos apartamentos e deixaram bilhetes pela vizinhança, dizendo que estão investigando o caso e pedindo que, se alguém viu algo, entre em contato. Tenho o número da ocorrência e, se quiser saber do andamento das investigações, posso entrar em contato. 

O conserto da porta ficou em mais de 200 libras, por ter sido um serviço de emergência. A gente chegou a conclusão de que o John poderia ter feito esse trabalho.

No fim das contas, o seguro cobriu quase tudo. Isso porque, o tipo de contrato que temos, prevê a cobertura de itens eletrônicos que estejam listados – ou seja, que tenhamos declarado para eles. Isso incluía meu laptop, mas não meu gravador digital. Joias e outros não precisavam ser declarados, ganham cobertura igual. Ou seja, se você fizer um contents insurance, fique alerta para esses detalhes e, se necessário, atualize com frequência. 

0 comentários em “Arrrombaram meu apartamento

  1. Sinto muito pelo stress todo, essas coisas infelizmente acontecem e pelo menos a polícia está preparada e pareceu eficiente.. e o melhor de tudo, o gato apareceu 🙂 Tenho um cachorro e fico super preocupada com essas coisas por causa dele..
    Também temos o seguro dos objetos da casa, mas eu não faço backup frequentemente, vou ver isso agora! Beijos e obrigada pelas dicas!

    1. Obrigada por comentar, Claudia. Decidi dividir a história no blog justamente para servir como dica. Eu não sabia nem qual número ligar para chamar a polícia. Beijos!

    2. E mais: enquanto eu procurava o Tiger, me perguntava por que não havia já colocado um microchip nele… Isso vai para minha lista de prioridades (mesmo, se no fim das contas, ele não tenha nem saído do apartamento!).

      1. Ontem mesmo eu estava pesquisando como atualizar o microchip do meu cachorro, estou aqui há um ano e ainda não atualizei.. vou ligar amanhã em um número que achei na internet para ver como faço.. Bjos!!!

    1. Sim, foi um alívio ver o Tiger bem. Fico com um sentimento de vulnerabilidade maior, mas ainda me sinto mais segura aqui do que no Brasil – embora ninguém nunca está imune, não? Beijos! 🙂

  2. Nossa isso é realmente horrível! Imagino a sua sensação! E graças à Deus esta tudo bem com seu gatinho né… eu também tenho um e sei o sentimento.
    Bom, como você disse, nunca ficaremos imune, mas temos que seguir em frente e não deixar o medo dominar, deixar nas mãos de DEUS e ficar esperto… Boa Sorte pra vocês! Bjos

  3. Puxa!
    Que chato isso ,mas ainda bem que estão bem.
    Foi depois do Churrasquinho?
    bjs querida e boa sorte para reaverem o que foi furtado.
    Cafuné no Tiger.

  4. Ai, que dó, Mel! Mesmo assim, teu relato só destaca o abismo absurdo da segurança aí e aqui, né? Fiquem bem e afofem muito o Tiger! Beijos!

    1. Oi, Mari. Comentaram no Facebook que o serviço da polícia aqui ameniza o gosto de impunidade que sentimos no Brasil, e é verdade. Acho quase impossível recuperarem meus pertences ou prenderem o cara por causa disso. Mas a polícia fez o registro das marcas que ele deixou para trás e tem isso guardadinho. Se um dia o identificarem, até um crime “simples” como esse vai estar lá na ficha dele. Por essas e outras, ainda me sinto mais segura aqui do que no Brasil, onde nunca fui assaltada.

      E pode deixar, que eu e o Tiger estamos afofando muito um ao outro. <3 Beijos!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *