Back to Backs: histórias da classe trabalhadora

No século 19, a Inglaterra encontrava dificuldades para acomodar sua crescente população. Uma saída foi construir casas atrás de outras casas, uma “de costas” para a outra, e usando uma mesma parede para dividi-las. 

A alternativa foi chamada de “back-to-back houses”, e o único exemplar que sobreviveu a demolições no século 20 passou por restaurações e hoje serve como museu mantido pelo National Trust, ao lado do Birmingham Hippodrome.

Fotos: Melissa Becker
Fotos: Melissa Becker

O Birmingham Back to Backs (também conhecido como Court 15) fica na 50–54 Inge Street e na 55–63 Hurst. O espaço hoje registra com detalhes a vida da classe trabalhadora inglesa entre 1870 e 1940.

back to backs - Foto: Melissa Becker

Construídas com material barato, oferecendo pouco conforto e péssimas condições sanitárias, essas “casas do fundo” abrigavam famílias da classe trabalhadora, gente que, muitas vezes, fazia do espaço onde moravam a sua oficina para abastecer as indústrias locais.

back to backs - Foto: Melissa Becker

Do lado de fora, há lojas e a entrada para o pátio, a área comum onde as famílias dividiam espaço para brincadeiras e roupas para secar.

O acesso à parte interna e às casas só é possível em uma visita guiada (pré-reserva por telefone é essencial: 0121 666 7671).

back to backs - Foto: Melissa Becker

Recomendo: é uma volta no tempo, preservando a história de pessoas anônimas que eram parte essencial do passado industrial de Birmingham. Fotografias dentro das casas não são permitidas (apenas do pátio e da fachada), mas percorre-se residências ambientadas de acordo com diferentes décadas.

back to backs - Foto: Melissa Becker

Além disso, interessados podem se hospedar em um cottage que faz parte do complexo (bem mais confortável que as condições dos antigos moradores – incluindo aquecimento).

back to backs - Foto: Melissa Beckerback to backs - Foto: Melissa Beckerback to backs - Foto: Melissa Becker back to backs - Foto: Melissa Becker

0 thoughts on “Back to Backs: histórias da classe trabalhadora

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *