Cabelo em adaptação

Quando postei sobre a adaptação da minha pele desde que me mudei para a Inglaterra, amigas comentaram no Facebook que as principais mudanças que sentiram foram nos cabelos, ao irem para outro país.

Você sentiu alguma diferença? Facilitou sua vida ou a tornou mais difícil?

Para mim, foi muito sutil. Meu cabelo fica um pouco mais liso na parte próxima à raiz, nada mais – ou seja, continuamos não nos dando muito bem.

Mas apesar de haver uma variedade enorme de produtos no Brasil, foi aqui que comecei a investir além de shampoo + condicionador +  creme.

Eu estava começando a usar um sérum quando vim para cá, e o substituto que achei mais ou menos à altura por aqui foi o John Frieda Frizz-Ease Hair Serum Extra-Strength.

Não consigo dizer que amo esse sérum, mas as ondas ficam mais definidas e com menos frizz sempre que aplico o produto quando o cabelo ainda está molhado.

Foto: Melissa Becker

Kiehl’s Magic Elixir, L’Oreal Elnett Lumiere Supreme Hold, Elnett Unfragranced e John Frieda Frizz-Ease Hair Serum Extra-Strength – Fotos: Melissa Becker

E sim: uso laquê, no dia-a-dia mesmo. Descobri que protege o cabelo da umidade muito bem – necessário na Inglaterra.

Se tem algo que vou levar anos para aprender com as inglesas, é como arrumar o cabelo. Existem certos penteados – como os atuais coques enormes no topo da cabeça – que passo, obrigada. Mas há formas simples de prender o cabelo e que mudam todo o visual e muitas sabem fazer isso muito bem.

Esse costume requer muito laquê, para garantir que dure até o final do dia.  Logo, a variedade desses sprays no mercado é maior aqui do que no Brasil. Elnett, da L’Oreal, deve ser a principal marca, e tem a cantora Cheryl Cole (uma mulher jovem, queridinha do Reino Unido) como garota-propaganda.

Pois cercada por tanto comercial de laquê, resolvi comprar – um ato inimaginável para mim no Brasil. O tubo mais alto é o Elnett Satin Lumiere Supreme Hold (acho que foi esse bastante usado em uma das últimas London Fashion Week), e o spray menor, Elnett Satin Unfragranced Extra Strength – os demais têm um cheiro bem característico.

Para mim, o segredo está em dar apenas algumas borrifadas com o tubo bem distante do cabelo, com o braço quase todo estendido. Do contrário, vai deixar algumas mechas endurecidas mesmo.

* * *

Last, but not least, o Kiehl’s Magic Elixir é uma combinação de óleos – como de alecrim e de abacate -, um concentrado para reconstruir o cabelo. Passo uma vez por semana, deixando agir por 10 minutos antes de lavar.

Deixa os fios supermacios, mas para um bom resultado, a dica é espalhar bem o produto na raiz, massageando mesmo o couro cabeludo. Nas vezes em que não fiz isso bem,  o cabelo ficou estranho.

* * *

Foto: Melissa Becker

Achei esse secador Mark Hill Style and Shine, que custava £50, com desconto de 50% na Boots. O mais poderoso de todos os que já tive – seca o cabelo bem rapidinho, eliminando o frizz.

Mas talvez seja “poderoso demais”: ele superaquece. Não chega a ser um grande problema para mim, porque em geral não uso para secar o cabelo completamente.

Olhando a opinião de outras consumidoras (benditos reviews!), elas reclamam o mesmo sobre esse modelo específico do Mark Hill, mas elogiam bastante outros secadores da marca. Se eu fosse comprar um agora, consideraria este aqui, com estampa de zebra – bem elogiado.

E quais são os seus cuidados com os cabelos?

AssinaturaBordo

17 comentários em “Cabelo em adaptação

  1. Então, Melissa, eu não senti muita diferença não. A maior diferença pra mim foi que aqui só uso shampoo John Frieda, que no Brasil é uma fortuna, mas aqui é praticamente o mesmo preço dos outros, e isso deixou meu cabelo mais bonito, brilhoso.

    Venho de Florianópolis, e lá, como aqui, a água também tem bastante cloro, venta muito, tem bastante umidade, talvez por isso meu cabelo não tenha sofrido com a mudança.

    Quanto ao secador, eu nunca usei, além de deixar meu cabelo super oleoso, eu não tenho paciência pra secar. Será que tem algum truque pra usar secador sem deixar o cabelo oleoso??

    1. Nunca usei shampoos da John Frieda. Tenho usado a linha Keratin Smooth da TresEmme e estou achando ótima!

      Não uso muito secador justamente porque deixa meu cabelo mais seco, rs. Também não tenho paciência para secar, mas faço isso quando esta’ muito frio!

      Alguém sabe um truque para evitar que o secador deixe o cabelo oleoso?

  2. Oi Mel. Na real eu nunca fiquei mais de um mês fora do Brasil, mas posso te contar como foram as minhas experiências em viagens de férias. Meu cabelo original de fábrica é ondulado, mas faz mais de 10 anos que fiz aquela escova japonesa definitiva e mantenho o liso com progressivas. Descobri a blindagem capilar e foi um achado pra alisar e dar brilho. Bom, quando vou pra casa dos meus pais, em Faxinal dos Guedes, perto da serra catarinense, ele encrespa. Provavelmente efeito da água e do clima úmido. No exterior ele costuma alisar por onde passei, quase toda a Europa, NY e Chile, mesmo nos dias úmidos. Um truque que eu observo é tentar usar produtos locais. Nosso shampoo querido no Brasil não faz o mesmo efeito fora, então, corro numa farmácia ou supermercado local. A recíproca é verdadeira, normalmente um produto que a gente amou usar fora do país pode não dar o mesmo resultado no Brasil, aí considera-se o fator clima/água.

    1. Boa observação sobre os produtos locais, Pati. E acho que nunca fiz blindagem capilar, vou ter que descobrir se existe por aqui e como se chama! Obrigada por comentar! 🙂

  3. Oi Melissa, meu cabelo e’ enrolado. Pra ser sincera, eu notei um aumento consideravel de caspa (eca!) nos primeiros meses e passei a usar o basico Head and Shoulders anti-caspa, shampoo e condicionador. Melhorou 100%!!! e e’ barato 🙂 Como leave-in, uso qualquer condicionador da marca dr.organic (cada vez eu uso um “sabor” diferente) e funciona bem pro meu cabelo. Custa cerca de £5, e dura por meses, ja que uso so um pouco mesmo.
    Sobre o secador, eu so uso depois de nadar na academia ou no inverno, se eu tiver que sair, mas uso de longe e no minimo. Nao resseca e nao deixa oleoso, mas talvez porque o meu leave-in protege bem.

    1. Ah, nunca usei Dr. Organic! Bom saber que tem um preço amigo. Sobre dermatite seborreica (eca!), nem escrevi porque uso um outro shampoo com um principio ativo que já rendeu ate’ piada no The Big Bang Theory (o cheiro e’ bem químico, mas sai com o aplicação de shampoo normal, cheirosinho, depois. O problema e’ que e’ o único que e’ efetivo. Não senti grandes mudanças em relação a isso aqui). Valeu, Karen! 🙂

  4. então… qdo vc, Melissa, citou o tema no FB, me lembrei que alguns dias na Alemanha tornaram meu cabelo mais liso, como se eu tivesse escovado em salão! Até hoje não sei por que, mas adorei. Nao sei se foi a água, o clima (acho que a Alemanha tava entrando no verão aquela vez…)…. é fato tb que por aqui, em Porto Alegre, ele muda tb, conforme umidade e tb acho que tem a ver com os altos e baixos dos hormônios… eh muito flagrante em mim a pele sem tônus, o rosto mais ‘caído’ uns dias antes de menstruar… depois, tudo dá um up… para mais à frente cair de novo. Hormônios… natureza. 😉 (ah! e tenho certeza de que menos açúcar na alimentação = pele mais vigorosa… açúcar tira o tônus da pele.) bjo

    1. Lo, o único lugar em que realmente senti diferença foi na Alemanha também, onde meu cabelo ficou mais liso – mas só passei quatro dias por lá , na mesma época que você, início de verão. E o segredo e’ esse: alimentação saudável, hehe. Mas mesmo com a melhor das intenções, acho difícil mudar meus cardápios por aqui. E resistir aos doces também é bem complicado… 😉 Beijos!

  5. Meu cabelo era outro em Beijing. Completamente diferente. Aqui em Porto Alegre o frizz era meu companheiro de todas as horas, a franja NUNCA se ajeitava e o meu cabelo podia ser classificado como torto: nem liso, nem cacheado, só torto mesmo. Com a falta de umidade de Beijing, o meu picumã virou o que sempre sonhei, sem precisar de grandes tratamentos ou escova. O secador de cabelo foi praticamente abandonado (só usava quando precisava sair à noite), o meu cabelo ficava lisinho e ajeitado só de secar ao natural. Tanta colaboração me fez voltar a adotar a franjinha, que não se entortava nem no verão.
    Claro, tinha o problema da poluição, por isso eu acaba lavando o cabelo diariamente. Na época adotei o Johnson’s Baby como xampu amado e inseparável, não usava nem condicionador. Sei lá como, mas foi a época mais bonita do meu cabelinho.

  6. Bom, Melissa pra mim quando mudei pra ca, achei que os meus cabelos se deram muito bem. Nao sei explicar muito porque, talvez seja a mudanca de shampoo e ou oleos. Como meu cabelo e super liso e sempre estou ora cortando muito curto ou os deixando longos, ou mudando de cor, onde aprendi com as inglesas aqui. Uso shampoos e condicionadores do John Frieda “Brunette” e as vezes mudo pro shampoo Herbal essences e o oleo que uso, indicado na epoca por uma cabelereira inglesa, o famoso “Moroccanoil” que dura bastante. Uso secador simples da Boots o Babyliss e nao uso aqueles de fazer chapinhas, nao, porque meu cabelo ja e liso. Tambem, acho bacana, os arranjos de cabelos que as inglesas fazem e confesso que essa arte eu sou pessima. E isso por hora. Abs Josie

    1. Josie, ja’ ouvi falar superbem do Moroccanoil, mas nunca usei. Não sou fiel a shampoos (apesar de eu estar usando o TresEmme por um bom tempo, sou mais de ficar trocando de marca toda a hora), mas acho que o Herbal Essences antigo funcionava melhor que os atuais. Muito obrigada por comentar!

  7. Gurias, preciso dividir um segredo com vocês: tem uma marca de produtos profissionais chamada Charles Worthington que se encontra em quase todas as Boots. Usei um shampoo e condicionador ano passado e nāo gostei, mas por algum motivo resolvi comprar outros 2 produtos meses atrás… e agora nāo consigo viver sem! Ambos sāo da linha “Salon at Home”. O primeiro é o “Intense Rescue Melting Balm” – como o nome diz, um balm que você derrete nas māos e aplica no cabelo 20 minutos ANTES de ir pro banho. Excelente pra ser usado 2 vezes por semana. O segundo é o “Miracle Repair Elixir Oil” – que, apesar do nome, é mais um serum do que um óleo. Esse eu uso depois do banho, com o cabelo ainda molhado, antes do secador. Nāo tem explicaçāo como o cabelo fica macio. Sério.
    Eu costumava usar um serum da John Frieda também, Mel – até encontrar esse. Agora é amor verdadeiro, amor eterno e eu nāo mudo mais, hehe. You have to try it!

    1. Já vi produtos Charles Worthington na Boots mesmo, mas nunca tentei! Vou certamente testar o balm, porque continuo usando esse serum da John Frieda (apesar de ele ser ok, mas não fantástico) por não ter descoberto um melhor ainda. Ótima dica, Cynthia! Obrigada. 😀

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *