Por trás dos portões de ferro do The Botanist

Foi a primeira coisa que me chamou a atenção: lindos portões de ferro e uma atmosfera descontraída. Era o The Botanist, restaurante no centro de Birmingham que abriu recentemente.

The_Botanist_Melissa_Becker04
Fotos: Melissa Becker

Gosto deste tipo de decoração, porque me lembra lugares em que eu ia no Brasil (apesar de o chão não ser de ladrilhos hidráulicos verdadeiros).  

The_Botanist_Melissa_Becker05

À mesa, o menu de cervejas chama a atenção, não apenas por ser extenso, mas pela beleza. Ilustrações e um pouco da história da bebida acompanham os rótulos e seus preços.

The_Botanist_Melissa_Becker06

Belgas, americanas e até Brahma: tem cervejas para todos os gostos.

Menor, mas não menos interessante, o cardápio de cocktails tem releituras de clássicos (como Bloody Porcini ou English Mojito). Se você quiser mergulhar no tema do local, há alguns servidos em regadores, para ser dividido entre quatro pessoas.

The_Botanist_Melissa_Becker02

Deixamos os regadores de lado e começamos com simples azeitonas.

Entre os pratos, tradicionais opções da cozinha inglesa – como gammonsteak & stout pie e scampi and fries (escolha do meu marido) -, mas ainda curry malaio e lamb tagine (minha escolha) para um toque mais exótico.

The_Botanist_Melissa_Becker08

The_Botanist_Melissa_Becker07

A carne de ovelha do meu tagine estava impecável. Eles a servem com cuscuz em pérola (prefiro o normal, não pelo gosto, mas pela textura) e sementes de romã. Delicioso.

The_Botanist_Melissa_Becker09Infelizmente, nossas bebidas chegaram apenas quando já estávamos comendo os pratos principais (sendo que as pedimos antes de escolher a comida). Como desculpas, elas não foram cobradas – o que acho justo com o freguês.

(Ah, pedi uma rosé sangria, que, além de vinho rose, leva licor de elderflower, Cointreau,
grenadine, suco de limão, frutas frescas e hortelã. Bonito e refrescante!)

Mas assim que terminamos de comer – e eu estava na metade do drink que eu queria ter tomado lá no início, enquanto beslicava as azeitonas, antes do prato principal -, a garçonete perguntou se queríamos mais bebidas e/ou sobremesa.

Com nossa resposta negativa, ela trouxe direto a conta (sem termos pedido). Eu nem tinha terminado minha bebida.

Conversando com outras pessoas, elas ouviram falar de mau serviço no The Botanist.

Não acho que fui mal atendida, mas tive um “serviço de dia de semana” (daqueles de intervalo do almoço, em que você quer que seja rápido para voltar para o trabalho) em um domingo, quando quero comer com tranquilidade e sem pressa. Me senti enxotada assim que eu terminei de comer (meu marido não se sentiu assim, então, talvez eu seja muito fresca), sendo que havia mesas vazias próximo a nós. Talvez eu até tivesse pedido mais um cocktail ou uma sobremesa se ficasse mais tempo por lá – mas não deu tempo para pensar.

A equipe era simpática, ninguém foi rude. Só faltou um pouco mais de “tato”.

Vou dar mais uma chance ao The Botanist e aí veremos.

The Botanist fica na 14-16 Temple Street, no centro de Birmingham (B2 5BG), com unidades ainda em Alderley Edge, Chester, Manchester, Newcastle e Leeds

The_Botanist_Melissa_Becker10

One thought on “Por trás dos portões de ferro do The Botanist

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *