Chapéu: essencial no clima britânico

Na última sexta-feira, o São Paulo Fashion Week teve um toque britânico na passarela: a coleção Primavera/Verão 2015 de Reinaldo Lourenço contou com criações da estilista de chapéus Victoria Grant.

Chapéu não é apenas parte do figurino da Rainha ou do dress code do Royal Ascot, mas um componente importante em ocasiões como casamentos. Como já comentei neste post, ainda não precisei me adornar com um fascinator para uma festa, mas sei que esse dia irá chegar!

O clima na Inglaterra mudou meus hábitos. Se no Brasil eu nunca havia usado nada na cabeça, hoje acho impossível sair na rua durante outono ou inverno sem estar protegida. E acho lindo o efeito que um chapéu pode dar ao visual (é só ver quantas fotos inspiradoras eu marquei no meu Pinterest).

Sem grifes e sem luxos, além de toucas de lã, ainda tenho esses chapéus para variar o look:

Foto: Melissa Becker
Foto: Melissa Becker

1. Outono – Comprei no Marks & Spencer Outlet do One Stop Shopping, há alguns meses. Acho que paguei menos de £ 20.

2. Inverno – Meu primeiro chapéu. Comprei em um dia chuvoso em Londres, em 2007. Fui me abrigar em uma daquelas lojas de souvernirs, a caminho da Oxford Street, e mais legal do que um guarda-chuva com a bandeira britânica, só mesmo um chapéu!

3. Verão – Parece palha, mas é papel mesmo. De um vendedor ambulante em Roma, salvou minha vida sob o sol em um calor de 40ºC por € 5.

O que falta? Talvez um de abas caídas para a primavera, comprado em algum brechó… *suspiro*

 

Peaky Blinders caps

Enquanto a segunda temporada da série Peaky Blinders não recomeça, a marca registrada dos integrantes da gangue de Birmingham não ficou no passado.

O cap usado pelos personagens e outros modelos de tradicionais séries britânicas podem ser encontrados na Christys’ London.

Divulgação
Divulgação

 

Grifes britânicas

Abaixo, confira as dicas do VisitBritain Brasil para ter o seu chapéu de marca com o luxo da tradição britânica:

Philip Treacy – Um dos maiores nomes em criação de chapéus, Philip Treacy foi responsável por mais de 30 dos exemplares usados no casamento real, incluindo o controverso modelo da princesa Beatrice e o chapéu pillbox azul-escuro de Victoria Beckham. Ele também é o homem por trás das criações mais elaboradas de Lady Gaga, incluindo os chapéus em formato de telefone e de lagosta. Gaga até se candidatou a um estágio com o estilista e fez a abertura do desfile dele com tema de Michael Jackson em setembro do ano passado. Em entrevista ao jornal The Guardian logo após o casamento real, ele disse, “eu não poderia ser mais irlandês, mas comemoro o lado britânico por meio de chapéus.” Quando ele conheceu a Rainha, perguntou: “A senhora gosta de usar chapéus?” E contou que ela recuou e disse: “Faz parte do uniforme.” Veja as peças em sua loja de Londres, perto da Sloane Square. 

Stephen Jones – Nascido em Liverpool, Jones é fornecedor de chapéus para uma lista de famosas, na qual já figuraram a princesa Diana e as Spice Girls. Criou os adornos de cabeça para desfiles de moda de estilistas do calibre de Vivienne Westwood, Jean Paul Gaultier, Galliano e Marc Jacobs, entre outros. Além de chapéus, é possível comprar perfumes Stephen Jones também em suas lojas de Covent Garden e Dover St Market. Os chapéus têm preços a partir de 250 libras (940 reais). A loja de departamentos Debenhams comercializa a linha ‘Top Hat by Stephen Jones’, com preços mais acessíveis, variando de 21 a 120 libras (79 a 452 reais). 

Jane Corbett – Todos os olhares se voltaram para Carole Middleton quando ela desceu de seu carro em 29 de abril de 2011 para ver a filha se casar com o príncipe William – e então todos viram o belo chapéu com aba azul que ela usava. O chapéu foi confeccionado por Jane Corbett, modista de chapéus de Berkshire que foi treinada por Rose Cory, chapeleira da falecida rainha-mãe. Desde o casamento, Carole Middleton recomendou Jane às suas duas filhas, as quais foram vistas usando criações de Corbett. Os chapéus dela custam entre 350 e 500 libras. 

Robyn Coles – Robyn Coles começou sua carreira como compradora para marcas de alta costura. Com um diploma de confecção de chapéus da London School of Fashion, Robyn decidiu sair de Londres e voltar para Cardiff em 2010, para montar seu próprio negócio. Neste curto período, ela exibiu sua coleção na Semana de Moda de Londres duas vezes. O desfile mais notório mostrou modelos totalmente nuas de chapéu, de variados formatos e tamanhos. Sua butique em Castle Arcade, Cardiff, é um verdadeiro paraíso. É possível ver Coles e sua equipe trabalhando no local e encomendar um modelo sob medida. A princesa Eugenie é fã da marca. 

William Chambers – O modista William Chambers cita a arquitetura de Glasgow como uma de suas fontes de inspiração, para quem busca algo um pouco diferente. A fashionista extravagante Anna Dello Russo já usou suas criações. As lojas Harrods, Fenwick e Fortnum and Mason de Londres revendem os chapéus de William. Na Escócia, eles são encontrados na Harvey Nichols de Edimburgo ou com horário marcado no showroom em Glasgow. Há acessórios a partir de 80 libras (300 reais) e chapéus a partir de 150 libras (564 reais). 

Lock & Co. – Loja de chapéus mais antiga do mundo, fundada em 1676, a Lock & Co. ostenta um Selo de Fornecedor Real para o duque de Edimburgo e o príncipe de Gales. Embora a empresa confeccione chapéus para mulheres, este é o lugar para os cavalheiros irem se quiserem obter acessórios para a cabeça. Aqueles que visitarem o local estarão seguindo os passos de Sir Winston Churchill, Charlie Chaplin e Lord Nelson e podem encontrar chapéus de equitação, de palha, de feltro ou uma cartola sob medida. 

0 thoughts on “Chapéu: essencial no clima britânico

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *