Barber Institute: arte na universidade

Apesar de o prédio em art deco não ter a mesma imponência da Birmingham Art Gallery, acho a coleção do The Barber Institute of Fine Arts, na Universidade de Birmingham, mais interessante.

É um museu de arte pequeno, mas concentra poucos e bons. Se a Birmingham Art Gallery exalta os talentos locais, é no campus da universidade que se encontra exemplares de obras dos maiores artistas mundiais, como Monet, Magritte, Picasso e Degas.

Como não se pode fotografar as obras de arte, uso a conta do museu no Instagram para compartilhar algumas belezas que vi por lá.

The Blue Bower, de Rossetti, é considerada uma das peças mais bonitas em exibição:

Eu visitei o local pela segunda vez em agosto. A primeira foi em 2010 com uma colega coreana, que estava fazendo seu doutorado na universidade. Desta vez, foi com meu marido – nascido e criado em Birmingham, mas que nunca havia ido lá. Apesar de ser um lugar conhecido, não é o mais visitado pelos nativos. Eles ainda preferem a Birmingham Art Gallery.

O espaço é dividido em cinco galerias, mais uma dedicado à numismática, com moedas romanas, bizantinas e medievais.

 

As pinturas e esculturas estão agrupadas em períodos:

  • Antes de 1600;
  • Entre 1600 e 1700;
  • Entre 1700 e 1800;
  • Século 19 e arte moderna (basicamente, essa galeria, com obras como a de Renoir, é o motivo desse museu de arte ser meu preferido em Birmingham).

 

 

O título dessa é engraçado, mas reflete as condições de higiene da época (século 17): Mulher Procurando Pulgas, de Giuseppe Maria Crespi.

 

The Barber Institute of Fine Arts fica no campus da Universidade de Birmingham, em Edgbaston (B15 2TS).

A entrada é gratuita, e o local abre de segunda a sexta-feira, das 10h às 17h, e sábado e domingo, das 11h às 17h. O museu fecha apenas nos feriados de Natal (incluindo vépera e Boxing Day), 1 de Janeiro e Sexta-Feira Santa.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *