O Gênesis segundo Sebastião Salgado

Londres

Soube da exposição Gênesis, do Sebastião Salgado, antes da world premiére em Londres (foi pelo vídeo do Natural History Museum que coloco no final deste post), mas só consegui ir neste mês. Pura arte em luzes e sombras.

© Sebastião Salgado / Amazonas Images / nbpictures
© Sebastião Salgado / Amazonas Images / nbpictures

“A confluência do Colorado e do Little Colorado visto do território Navajo. O Parque Nacional do Grand Canyon começa após essa junção.

Arizona, Estados Unidos, 2010.”

Se nunca ouviu falar de Sebastião Salgado, está aqui o que você precisa saber: é o melhor fotógrafo brasileiro, com seu trabalho admirado em todo o mundo.

As duas imagens neste post dão uma ideia, mas são pouco para dar a real dimensão do trabalho. Por isso, vá além e confira a mostra em Londres (até 8 de setembro) ou a exposição virtual no site da Vale, que patrocina o projeto.

Ele visitou 32 regiões da Antártida ao Ártico, entre 2004 e 2012, na tentativa de documentar o que ainda resta intocado (ou quase) pelo homem na Terra. Quem acompanha a carreira de Salgado sabe que a figura humana é sempre o principal elemento de suas fotografias. No entanto, em Gênesis, ele explora paisagens e animais também.

© Sebastião Salgado / Amazonas Images / nbpictures
© Sebastião Salgado / Amazonas Images / nbpictures

“Como os elefantes (Loxodonta africana) são perseguidos por caçadores furtivos em Zâmbia, eles têm medo de humanos e de veículos e geralmente correm com rapidez em direção aos arbustos quando se aproximam. No entanto, aqui o elefante atacou o veículo, e o motorista rapidamente se afastou.

Parque Nacional Kafue, Zâmbia, 2010.”

A mostra é dividida pelas regiões visitadas: Planeta Sul, África, Santuários, Espaços Nórdicos e Amazônia e Pantanal.

Já havia ido a pelo menos outras duas exposições de fotos do Sebastião Salgado: uma em Porto Alegre (lá pelos anos 2000) e outra, no ano passado. Essa também foi em Londres – uma coletânea de trabalhos icônicos (como dos trabalhadores de Serra Pelada), organizada pelo King’s Brazil Institute na Somerset House, que abrigou a Casa Brasil durante as Olimpíadas.

Gênesis pode ser visitada até o dia 8 de setembro, no Natural History Museum, em Londres. No Brasil, as fotografias puderam ser vistas no Jardim Botânico do Rio de Janeiro desde maio, mas devem ser apresentadas em São Paulo, a partir de setembro.

Também para o próximo mês, estaria prevista a estreia do documentário A Sombra e a Luz, dirigido por Juliano Ribeiro Salgado – filho de Sebastião – e pelo diretor alemão Wim Wenders, sobre Sebastião Salgado. Estou torcendo para estar disponível logo no Reino Unido!

2 comentários em “O Gênesis segundo Sebastião Salgado

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *