Como consegui a cidadania britânica

Agora sou brasileira naturalizada britânica. Recebi o certificado de cidadania britânica por naturalização recentemente.

Esse foi mais um passo de uma longa jornada.

 

Para quem a cidadania britânica é concedida

A primeira orientação no site do governo é, claro, verificar se você se encaixa nos requisitos para pedir a cidadania.

Por exemplo, em geral, é necessário que se tenha residência no Reino Unido por pelo menos cinco anos antes da data do pedido (diferente para cônjuges, meu caso – explico depois), planeje continuar vivendo aqui e tenha sido aprovado em um teste de proficência de inglês e no Life in the UK, que é o teste sobre conhecimento geral do país.

Além disso, o requerente deve ter adquirido há mais de um ano a permanência definitiva – settlement, também chamado de indefinite leave to remain, para quem tem cidadania brasileira, ou permanent residence status para quem tem cidadania de algum país  do Espaço Econômico Europeu, European Economic Area (EEA) – para poder encaminhar o pedido de cidadania britânica.

Como antes eu não tinha nenhum documento europeu (cidadania brasileira apenas), mas sou casada com um cidadão britânico, relato aqui como funcionou para mim.

*** Lembre-se que as regras são diferentes para quem tem papéis europeus e que, para todos os casos, os requirementos mudam com frequência. Esse post é só para dar uma noção de como foi minha experiência. 

 

Como consegui a cidadania britânica

Consegui a cidadania britânica por casamento.

Casei com um cidadão britânico no Brasil em 2011, e o primeiro passo depois disso foi pedir o visto de esposa. Depois, o indefinite leave to remain (ILR). Agora, em 2017, finalmente, a cidadania.

Além dos requisitos acima, tive que provar que morei no Reino Unido por pelo menos três anos antes da data que entrei com o pedido. Essa é uma das diferenças de quem aplica como cônjuge de cidadão britânico. O tempo mínimo para se comprovar vivência no país é mais curto.

Se você estava fora do país exatamente três anos antes do dia em que entregar os documentos, o Home Office pode negar o pedido (foi o que me disseram).

Esses “três anos” se referem ao exato período anterior à data em que você entrar com o pedido. Ou seja, se entregar seus documentos no dia 1º de abril de 2017, certifique-se de que você estava em solo britânico no dia 1º de abril de 2014.

Um dos detalhes é ter que listar todas as viagens para fora do país nos últimos três anos. O requerente não pode ter ficado, no total, mais de 270 dias fora do Reino Unido nesses três anos, nem mais de 90 dias fora do país nos últimos 12 meses.

Obviamente, também conta qualquer infração quanto às leis de imigração no Reino Unido.

 

Como fiz o processo

Não usei advogado desta vez. Fiz tudo por mim mesma, baseada na minha experiência anterior com o indefinite leave to remain. Tive grande apoio de uma amiga com o mesmo status que também estava se preparando para entrar com o pedido.

Primeiro de tudo, leia com atenção tudo o que site diz. Na parte sobre como aplicar, explica como fazer se você mandar a papelada diretamente para o Home Office, usar o serviço de checagem de documentos da sua cidade ou região (Nationality Checking Service) ou usar um representante ou agente (advogado etc).

Optei por usar o Nationality Checking Service, o que eu já tinha feito quando pedi a residência definitiva.

Recomendo. Não é garantia, mas eles conferem se os documentos necessários estão inclusos e fazem cópias, deixando os originais com o requerente. Essas são as únicas cópias aceitas pelo Home Office.

Mas antes mesmo de marcar horário com eles,  fiz o dever de casa. O serviço de checagem dos documentos ajuda, mas não vai fazer o trabalho para você.

Baixei o formulário, chamado de Application to naturalise as a British citizen: form AN – que deve ser preenchido com antecedência, e não na hora.

Não é necessário preencher todas as questões, já que o mesmo formulário serve para pessoas pedindo cidadania por diferentes motivos. No entanto, é essencial preencher os campos relacionados ao seu caso.

Imprimi os guias em pdf que explicam como preencher o formulário e quais documentos são pedidos (guidance notesrequirements booklet).

Na real, estudei esses guias e conversava com minha amiga cada vez que uma dúvida surgia. Marcamos almoços para preenchermos um rascunho do formulário juntas (além de colocar o papo em dia, claro).

Uma parte importante do formulário são as referências. É obrigatório que duas pessoas que lhe conhecem há, no mínimo, três anos e que tenham certas profissões (médico, professor, padre, gerente etc) preencham a parte correspondente do formulário com número de contato, como conhecem o requerente etc.

Quando senti que tinha entendido a maior parte e estava segura para preencher o formulário pra valer e juntar os documentos como evidência, marquei um horário com o Nationality Checking Service de Birmingham.

Para isso, você tem que baixar e preencher um outro formulário (sim, outro…) e mandar pelo correio, indicando a data que gostaria de ter a consulta. O funcionário entra em contato para confirmar data e horário, após o pagamento desse serviço ser processado.

 

Entregando a papelada

Cidadania britânica
Na dúvida, levei mais documentos do que o necessário – Fotos: Melissa Becker

Além do formulário preenchido, é necessário juntar documentos que vão servir de suporte a sua aplicação, isto é, eles são evidências de que você cumpre os requisitos.

A lista dos papéis necessários está no guidance notesrequirements booklet. Leia com atenção e veja o que se relaciona ao seu caso.

Levei bem mais documentos do que precisei, por garantia, cobrindo os últimos três anos (contracheques e comprovantes de residência, por exemplo).

Sim, levei 36 comprovantes de residência, um para cada mês dos últimos três anos. Fiz isso baseada no que me pediram quando pedi residência definitiva. Não precisei apresentar nenhum desta vez!

Depois de revisar todo o meu formulário, a funcionária só me pediu os seguintes documentos para copiar e anexar ao pedido enviado ao Home Office: P60, comprovante de aprovação no teste Life in the UK, certificado de proficiência em inglês e certidão de casamento original e sua tradução juramentada, além do meu passaporte e (acho, não lembro com certeza) o passaporte do meu marido e meu cartão biométrico da residência permanente (BRP, o que me deram quando saiu meu ILR).

Mas foi só isso porque meu passaporte cobre os últimos três anos – isto é, se você renovou o passaporte há menos de três anos, terá que levar o passaporte antigo também. Se não tiver o passaporte antigo, aí sim, precisará de outros documentos para provar que você morou no Reino Unido naquele período que o passaporte novo não cobre.

 

Quanto tempo leva para conseguir a cidadania britânica

Comecei a ler sobre o assunto em agosto, entrei em contato para marcar a entrevista em setembro e entrei com o pedido no final de outubro de 2016.

Apesar de o Home Office afirmar que pode levar seis meses ou mais para a decisão, o meu processo levou menos tempo: três meses, mais um mês para a data da cerimônia.

  • 26 de outubro: formulário entregue e documentos originais apresentados ao Nationality Checking Service
  • 02 de novembro: email do Home Office confirmando recebimento da papelada enviada pelo Nationality Checking Service (e quando a quantia pela aplicação foi sacada da minha conta)
  • 21 de novembro: carta do Home Office para a coleta das impressões digitais, dizendo que era a segunda carta que enviaram (nunca recebi a primeira, e não foi a primeira vez que não recebi cartas do Home Office)
  • 14 de janeiro: recebimento da carta do Home Office com a confirmação de que meu pedido foi aceito
  • 14 de janeiro: recebimento da carta do Register Office de Birmingham com a data da cerimônia em grupo
  • 21 de fevereiro: cerimônia com entrega do certificado de naturalização (quando oficialmente me tornei cidadão britânica)
  • Cinco dias úteis após a entrega do certificado de naturalização: período máximo para retornar o cartão de permanência definitiva pelo correio para o Home Office (ou multa de £1,000), para quem não retornou o cartão com a aplicação (meu caso)

 

Taxas

Valores no momento em que usei os serviços, entre outubro de 2016 e fevereiro de 2017:

  • Entrevista com o Nationality Checking Service em Birmingham: £80
  • Taxa para o pedido de cidadania ao Home Office: £1,236
  • Coleta de dados biométricos no Post Office: £19.20
  • Retorno do cartão de permanência definitiva para o Home Office: £6.45 (usei o Special Delivery Guaranteed do Royal Mail, mais rápido e registrado – assim, vi e tenho provas de que foi entregue dentro do prazo estipulado pelo Home Office)

             TOTAL = £1,341.65

O custo do pedido inclui a cerimônia de cidadania em grupo. Quem preferir, em Birmingham, pode desembolsar mais £150 por uma cerimônia fechada.

 

A cerimônia

Minha cerimônia da cidadania foi no Register Office de Birmingham, na manhã de uma terça-feira.

Foi uma cerimônia em grupo, com certa de 25 pessoas se tornando cidadãos britânicos. A função toda (da entrega dos documentos, passando por ensaio e a cerimônia propriamente dita, às fotos) durou menos de duas horas.

Antes de receber o certificado, temos que fazer um juramento de lealdade à Rainha e seus herdeiros (conhecido como oath ou affirmation of allegiance), além de uma promessa (pledge) ao Reino Unido.

Recebi o certificado (e uma medalha de Birmingham!) das mãos do atual Lord Mayor of Birmingham, Councillor Carl Rice, e de uma representante da Rainha – Colonel Heidi Doughty, Deputy Lieutenant do The West Midlands Lieutenancy.

O pessoal do Register Office fez esse momento ser bem especial, e os discursos dos dignatários fizeram a gente se sentir bem-vindo à comunidade. Depois de anos de papelada, foi uma gratificante surpresa e um alívio ouvir aquelas palavras.

A Liliana, do blog Catálogo de Viagens, fez um post bem bacana sobre a experiência dela.

Recebi ainda um welcome pack, que incluiu uma carta da Theresa May (quando ela ainda era ministra do interior):

 

Viagens e passaporte

Apesar de poder sair do Reino Unido enquanto o Home Office esteve decidindo o meu caso (diferente de quando apliquei para o ILR), há certos momentos do processo em que não é recomendado.

Por exemplo, logo depois que enviar a aplicação e os documentos, você terá que ir ao Post Office para a coleta dos dados biométricos. Para isso, o Home Office dá 15 dias úteis na primeira carta (mais 10 dias úteis na segunda carta).

A cerimônia é marcada pelo Register Office, mas se você tem uma viagem próxima marcada para o exterior, o recomendado seria transferir para depois da viagem. Assim, você tem tempo de aplicar para o passaporte britânico e viajar sem sobressaltos.

O primeiro passaporte britânico para um adulto leva até seis semanas para ficar pronto. Não é possível usar o serviço premium para documentos emergenciais neste caso, pois envolve uma entrevista. Ainda vou passar por isso, e aí escreverei outro post sobre o assunto.

4 thoughts on “Como consegui a cidadania britânica

  1. Oi Melissa! Há tempos não vinha aqui!! Meus Parabéns!!!!! Sei bem como essas coisas são demoradas e imagino seu alivio. Estamos no processo de residência permanente. Completamos 5 anos em fevereiro e estava esperando voltar do Brasil pra começar. Uma coisa que queria perguntar, você organisou os documentos como um fichário tipo, com separações e tal? Ou não foi necessário? Não consegui ver pela foto. Como nós temos q provar 5 anos de employment de cada um e 5 anos de residência morando juntos, vai ser 3 vezes mais os documentos q vc enviou rsrs acho q vou ter q mandar numa caixa haha beijos!

    1. Oi, Karen. Separei, mas para a cidadania não precisei de tantos documentos quanto para o ILR. Se você fizer separações, vai ser mais para te ajudar mesmo, já que a atendente vai pedindo um por um (pelo menos foi assim no meu caso). Boa sorte, beijos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *